multi midia
REGIÃO

Vereadores afastados serão processados na Câmara de Frutal

19420706_1533345453407002_5794341784136997740_n-696x392

17458109_1283516065097236_7429722647598291507_nA partir de agora todas as comissões terão 90 dias para concluir seus trabalhos. Nesse prazo deverão ouvir testemunhas e apurar os fatos relativos ao documento apresentado na Câmara.

Após denúncia protocolada na tarde de hoje pelo presidente do PSB, Caio Heitor, pedindo abertura de Comissão Processante (CP) contra os sete vereadores afastados por decisão judicial sob suspeita de improbidade administrativa na eleição da Mesa Diretora da Câmara, a Câmara de Frutal, na reunião ordinária desta segunda-feira, dia 26 de junho, fez a leitura dos documentos protocolados e a consequente votação se as Comissões Processantes solicitadas pelo PSB seriam ou não acatadas pelo plenário.

A primeira denúncia lida foi contra o vereador Edison Yamagami (PSOL), que foi acatada por 12 votos a 1. Apenas a vereadora Ana Cláudia Brito Marchi (PR) votou contrária a abertura da CP. O presidente Querino François e o suplente Liosório Barba (parte interessada na denúncia) não votaram. Após a aprovação, foi realizado o sorteio dos integrantes da Comissão, sendo sorteados o vereador Pedrinho do Gás (PMN) como presidente, a vereadora Gleiva Ferreira de Melo (PR) como relatora e o vereador Josimar Ferreira Campos (PSD) como membro.

Em seguida foi realizada a leitura e votação da denúncia contra o vereador Ésio Antônio dos Santos (PR). De novo, por 12 votos a 1, a CP foi aprovada. Desta vez, além do presidente, o suplente impedido de participar da votação foi Juninho do Sindicato (PPS). No sorteio dos integrantes da Comissão, foram definidos os seguintes vereadores como integrantes: vereador Zizi (PPS) como presidente, vereadora Maíza Signorelli (PR) como relatora e vereador Pedrinho do Gás (PMN) como membro.

A terceira denúncia lida em pesa contra o vereador Joab de Paula Alves (PSC). O placar da votação se manteve o mesmo: 12 votos favoráveis e apenas a vereadora Ana Cláudia contrária a abertura da CP. A comissão ficou assim definida após o sorteio: Pedrinho do Gás (PMN) como presidente, Ana Cláudia (PMN) relatora e Maíza Signorelli Nunes (membro).

Na sequência a quarta denúncia aprovada por 12 x 1 foi contra o vereador Ricardo Soares (Mazzarope – AVANTE). Os integrantes da Comissão sorteados foram: Josimar Ferreira Campos (PPS) como presidente, Edivalder Cheiroso como relator e Gleiva Ferreira de Melo (PR) como membro. Não votaram o suplente Rapinha e o presidente Querino.

A quinta denúncia da noite pesou contra Douglas Chagas (DOYAL – PSOL). Após 12 vereadores acatarem a denúncia e apenas um ser contrário, o sorteio dos integrantes da CP ficou da seguinte forma: Pedrinho do Gás (PMN) como presidente, vereadora Gleiva Ferreira de Melo (PR) como relatora e o vereador Rapinha (. Não votaram o suplente Dinaldo do Pão de Queijo (PSOL) e o presidente Querino.

O sexto vereador a ter a CP aprovada foi contra o vereador Romero Menezes (PRTB). Os integrantes sorteados para compor a CP foram: Pedrinho do Gás (PMN) como presidente, Joziel Nunes (AVANTE) como relator e Maíza Signorelli Nunes (PR) como membro. Mais uma vez o placar foi de 12 x 1.

Para finalizar a noite, a sétima denúncia acatada por 12 x 1 foi contra o vereador Wesley Oliveira (Nenê Finuh – AVANTE). Os integrantes da Comissão Processante serão: Edivalder Cheiroso (PSDB) como presidente, Gleiva Ferreira de Melo (PR) relatora e Zizi (membro).

A partir de agora todas as comissões terão 90 dias para concluir seus trabalhos. Nesse prazo deverão ouvir testemunhas e apurar os fatos relativos ao documento apresentado na Câmara. Só então, após a conclusão, será realizada a reunião para votação de cassação ou não dos vereadores. Para que sejam cassados é necessário que haja 10 votos favoráveis (dois terços dos vereadores), sendo que o suplente não pode participar da votação do processo do qual seja parte interessada.

Diário do Triangulo com informações Alô Frutal FullSizeRender

Most Popular

para o Topo